Notícias
Confira as novidades

Orientação de vacinação COVID-19 para pessoas com distúrbios hemorrágicos - Federação Mundial de Hemofilia

19/01/2021
Orientação de vacinação COVID-19 para pessoas com distúrbios hemorrágicos - Federação Mundial de Hemofilia

Foi publicado no dia 22/12/2020, no site da Federação Mundial de Hemofilia, o Guia de Orientação para vacinação para a COVID-19. O que segue abaixo é a tradução e o link com acesso para o texto original:

A orientação de vacinação COVID-19 para pessoas com distúrbios hemorrágicos está agora disponível no site da WFH, desenvolvida pelo Comitê de Segurança, Abastecimento e Acesso de Produtos de Coagulação da Federação Mundial de Hemofilia em colaboração com o Consórcio Europeu de Hemofilia (EHC) e a Hemofilia Nacional dos EUA Fundação (NHF). As informações serão atualizadas conforme necessário. Para acessar a matéria original Clique Aqui.

 

REDE WFH
Hemofilia World News
Orientação de vacinação COVID-19 para pessoas com distúrbios hemorrágicos - Federação Mundial de Hemofilia

Orientação da World Federation of Hemophilia (WFH), European Haemophilia Consortium (EHC) e U.S. National Hemophilia Foundation (NHF)

 

É importante que os Centros de Tratamento de Hemofilia, em estreita colaboração com as organizações de pacientes, tomem medidas para informar as pessoas com distúrbios hemorrágicos sobre as vacinas COVID-19 e contribuam para um programa de vacinação eficaz.

1- Pessoas com distúrbios hemorrágicos não têm maior risco de contrair COVID-19 ou desenvolver uma forma grave da doença, portanto não são consideradas um grupo prioritário para vacinação.

2- A vacina deve ser administrada por via intramuscular. A menor agulha de calibre disponível (calibre 25-27) deve ser usada, se possível. Algumas vacinas devem ser administradas usando a combinação agulha-seringa que a acompanha e, portanto, o uso de uma agulha alternativa pode não ser possível ou desejável. Deve-se aplicar pressão no local por pelo menos 10 minutos após a injeção para reduzir o sangramento e o inchaço. Além disso, recomenda-se a autoinspeção / palpação da área de injeção vários minutos e 2-4 horas mais tarde para garantir que não haja hematoma retardado. O desconforto no braço sentido por 1-2 dias após a injeção não deve ser alarmante, a menos que piore e seja acompanhado por inchaço. Quaisquer eventos adversos (por exemplo, hematoma, reação alérgica) devem ser relatados a um centro de tratamento de hemofilia.

3- Os pacientes devem entrar em contato com seu médico imediatamente ou ir ao pronto-socorro do hospital mais próximo imediatamente se sentirem uma reação alérgica (febre, calor, vermelhidão, erupção cutânea com comichão, falta de ar ou inchaço da face ou da língua), pois pode ser vital -ameaçador. Pacientes com histórico de reações alérgicas a concentrados de fator de coagulação de meia-vida prolongada contendo polietilenoglicol (PEG) devem discutir a escolha da vacina com seu médico, porque algumas vacinas contêm PEG como excipiente.

4- Muitos indivíduos com distúrbios hemorrágicos podem não ter acesso imediato a terapias hemostáticas antes da vacinação. Nesses casos, faça esforços para acessar outros fatores de coagulação, se possível. Como alternativa, siga as instruções acima, certificando-se de que a menor agulha possível seja usada e mantenha a pressão por mais de 10 minutos.

5- Para pacientes com hemofilia grave / moderada, a injeção deve ser administrada após a injeção de fator VIII (FVIII) ou fator IX (FIX). Para pacientes com nível basal de FVIII ou FIX acima de 10%, nenhuma precaução hemostática é necessária.

6- Os pacientes que tomam emicizumabe (com ou sem inibidor) podem ser vacinados por injeção intramuscular a qualquer momento, sem precauções hemostáticas e sem receber uma dose de FVIII.

7- Pacientes com doença de Willebrand Tipo 1 ou 2 (VWD), dependendo de seus níveis de atividade do cofator de ristocetina (RiCof) do fator de von Willebrand (VWF), devem usar terapias (isto é, DDAVP se disponível, ácido tranexâmico), em consulta com seu tratamento de hemofilia Centro. Os pacientes com VWD tipo 3 devem receber uma injeção contendo Fator de von Willebrand.

8- Todos os pacientes com distúrbios hemorrágicos raros (incluindo aqueles com trombocitopenia e / ou distúrbios da função plaquetária) devem ser vacinados. Os pacientes em uso de anticoagulantes devem ter o teste do tempo de protrombina realizado dentro de 72 horas antes da injeção para determinar a razão normalizada internacional (INR); se os resultados forem estáveis ??e dentro da faixa terapêutica, podem ser vacinados por via intramuscular.

9- Não há contra-indicações específicas à vacinação relacionadas a complicações da hemofilia e outros distúrbios hemorrágicos ou suas terapias. A tolerância imunológica, o tratamento da hepatite C e HIV e outras condições não contra-indicam a vacinação.

10- A vacinação não é contra-indicada para pacientes em uso de agentes imunossupressores (cortisona, outros medicamentos imunossupressores).

11- As possíveis contra-indicações devem ser discutidas individualmente com o médico porque as recomendações variam em diferentes jurisdições devido à falta de dados em populações especiais (por exemplo, mulheres grávidas ou amamentando).

12- A Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA aconselharam cautela ao usar a vacina Pfizer / BioNTech em pessoas com histórico de reações alérgicas significativas. Recomendações específicas para pessoas com histórico de reações alérgicas / anafilactoides podem ser encontradas no comunicado publicado por cada agência.

13- Para pacientes em um estudo clínico, a vacinação deve ser relatada aos pesquisadores do estudo.

 

As informações serão atualizadas nos sites WFH, EHC e NHF conforme necessário.

 

Recursos:

Orientação de vacinação COVID-19 para pessoas com distúrbios hemorrágicos [PDF]

Anúncios e declarações do COVID-19 no de PWH publicada em Haemophilia